Plataforma de turismo é criada para atender pessoas com deficiência

Plataforma de turismo é criada para atender pessoas com deficiência

Um grupo de estudantes do ensino médio de Cuiabá tem motivos de sobra para comemorar. No último sábado (30), alunos da Escola Estadual Presidente Médici foram os vencedores do Desafio Tack, um dos maiores desafios de empreendedorismo jovem do Brasil, que este ano, pela primeira vez, contou com a participação de alunos do ensino médio das escolas públicas de todo o País.

O objetivo da competição era que as equipes pudessem encontrar soluções inovadoras, utilizando a tecnologia para questões culturais. A recompensa? Uma viagem para participar da Brazil Conference 2020, na Universidade de Harvard e no Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos Estados Unidos. O anúncio foi feito com ares futuristas durante o Tack Festival – festival de inovação, tecnologia e criatividade – no Rio de Janeiro. A equipe da Escola Estadual Presidente Médici competiu com outras quatro escolas finalistas do Maranhão, São Paulo, Santa Catarina e Tocantins.

O projeto vencedor de Cuiabá apostou na inclusão, através da FEAMM, plataforma de turismo, criada para atender a todos os públicos, em especial, as pessoas com deficiência (PcD). O objetivo do grupo vencedor é levar conhecimento cultural ao maior números de pessoas, viajando ou dentro de sua própria cidade, através do acesso às informações dos principais eventos, que possuam acessibilidade necessária para cada limitação.

O site, que em breve estará no ar, é um convite ao público, para desfrutar do que há de melhor ao redor do País, sem limites a qualquer indivíduo, independentemente da sua deficiência. A partir da escolha em trabalhar com o tema, os alunos pensaram numa plataforma de busca idêntica ao site “trivago”, que mostra os melhores preços de hotéis em várias operadoras, porém, voltado para as PCDs, com uma gama enorme de informações.

Durante a concepção do projeto, foram levados em conta, fatores como a constatação de que  6,7% da população brasileira têm algum tipo de deficiência e, que este, também é um público grande que não é atendido. O início de operação do site, previsto para 2020 mostrará o roteiro turístico completo para Pessoas Com Deficiência (PCDs) em cidades do Mato Grosso, inicialmente em Chapada dos Guimarães. Depois, Bonito (MS), Pironópolis (GO), entre outras.

Já as demais equipes finalistas apostaram em projetos como: realidade virtual em 360, com conteúdos culturais para a população que não tem acesso à internet (Instituto Federal de Santa Catarina / IFSC); visibilidade à cultura em comunidades da periferia, através da criação do Pericode, conteúdo digital produzido pelo QR Code (Instituto Federal de São Paulo / IFSP) e ICUL, app que proporciona visibilidade ao potencial histórico, turístico e cultural da região do Tocantins, com imersão dos usuários por meio de imagens 360°e função offline para atender as áreas com acesso limitado à internet (Instituto Federal do Tocantins / IFTO ).

Já do Nordeste (Instituto Federal do MA / IFMA), veio o projeto ConTech, um container com tecnologia para tornar o acesso à cultura mais democrático. Entre os elementos de destaque, internet via satélite, produções audiovisuais – filmes, documentários e stand up, tour por museus virtuais através de óculos de realidade virtual e mini cursos e oficinas de inclusão digital.

Mais informações: tackfestival.com

Texto por: Agência com edição Eliria Buso

Foto por: Istock/ Mailson Pignata

 

Follow by Email
Facebook
YouTube
Instagram