Bonito e Jardim: destinos para aproveitar as belezas naturais da Serra de Bodoquena

Bonito e Jardim: destinos para aproveitar as belezas naturais da Serra de Bodoquena

O Mato Grosso do Sul é um dos destinos mais procurados pelos amantes de ecoturismo. Bonito e Jardim são as principais cidades na Serra de Bodoquena, região famosa por inúmeros atrativos naturais que são explorados sem deixar de manter a preservação do meio ambiente.

Em Bonito, cidade mais visitada, o destaque vai para as nascentes, rios e lagoas. Todas possuem um tom de azul cristalino que contrasta com o verde da mata que circula o local.

Na Fazenda São Geraldo, o Rio Sucuri é a grande atração. As águas são tão límpidas que é possível ver toda a fauna e flora. A propriedade ainda oferece passeios de quadriciclo e de bicicleta, atividades de flutuação e visitas pelas cachoeiras do local, que são propicias para banho.

Jardim
Foto por Flávio André/MTur

A Nascente Azul é um balneário com várias atividades para serem feitas em família, com amigos ou até mesmo na própria companhia. Entre as opções está o Aqualokko, um circuito de pontes suspensas para todas as idades aproveitarem. A tirolesa aquática desliza por cima do rio e termina com o visitante caindo na água.

O Abismo Anhumas é o destino mais radical da cidade. Para chegar até a caverna, é preciso descer 72 metros com rapel. Ao chegar no fundo, o visitante pode realizar passeios de bote, flutuação com colete ou mergulho autônomo com cilindro de ar.

Localizado a cerca de 70 quilômetros de Bonito, Jardim ainda não ganhou a mesma fama turística que seu vizinho. Entretanto, esse é um dos seus maiores atrativos, pois é possível conhecer a cidade de maneira mais tranquila.

Considerada a maior dolina da América Latina, o Buraco das Araras é um dos locais mais impressionantes da Serra de Bodoquena. Com 127 metros de profundidade, o covil abriga diversas espécies, em especial as araras, tamanduás, quatis e jacarés do papo amarelo.

Jardi
Foto via Flávio André – MTUR

O Recanto Ecológico Rio da Prata é uma nascente própria para a prática de mergulho com cilindro e flutuação. É possível ver diversos cardumes de piraputangas, dourados, curimbatás, piaus, matogrossinhos e outros peixes do Pantanal.

Texto por Carolina Berlato

Imagem Destacada via Flávio André – MTUR

Follow by Email
Facebook
YouTube
Instagram