As praias e o pôr do sol da adorável Portimão no Algarve

As praias e o pôr do sol da adorável Portimão no Algarve

Por – Cláudio Lacerda Oliva – Especial para o Ikiviagem

Fotos – Rui Sousa

Cidade resistiu ao grande terremoto de 1755 e hoje recebe turistas da Europa para curtirem suas praias e assistir o magnífico por do sol

O Algarve é a região turística de sol e mar  mais badalada de Portugal e talvez da Europa. Clima cálido no inverno, com forte calor no verão, propício para quem deseja pegar um bronze ou se refrescar com saborosos sorvetes. A cidade de Portimão é a segunda maior cidade do Algarve, situada no estuário do Rio Arade, de águas profundas no passado. A cidade histórica surgiu no século XV, quando o Rei manda centena de moradores da província de Silves  estabelecerem-se na barra do Rio Arade – para a defenderem dos assaltos de corsários.

Foto: Rui Sousa

Originalmente, Portimão era terra de pescadores e aventureiros, mas em meados do século XX descobre-se que tem algo mais valioso que a abundância da sardinha – as suas majestosas e ensolaradas praias.

Praia dos Três Castelos. Foto: Rui Sousa

Atualmente a maioria dos visitantes fica na região por aproximadamente três dias, sendo um deles para compras em Portimão e nos outros para relaxar na Praia da Rocha, cerca de 3 km ao sul, uma das mais frequentadas por turistas, principalmente por Ingleses, Alemães, Holandeses e Espanhóis. Em sua história, um terrível terremoto acabou por destruir parte dos numerosos edifícios históricos. Ele ocorreu no fatídico ano de 1755, e quase tirou Portimão do mapa.

Praia da Rocha. Foto : Rui Sousa

Igreja da Nossa Senhora da Conceição

Um dos monumentos que resiste até hoje é a Igreja de Nossa Senhora da Conceição, igreja matriz que ainda mantém a porta gótica da sua estrutura original do século XV; o interior é mais impressionante.

As ruas que cercam a igreja são bastante agradáveis, com lojas de sapatos, joias, cerâmica e produtos de vime; as principais estão ao redor da Rua Diogo Tomé.

Colégio dos Jesuítas 

A 150 metros da igreja, na Praça da República, o Colégio dos Jesuítas ocupa um dos lados da praça, a maior igreja do Algarve , erguida no século XVII, remodelada após o terremoto de 1755.

Na sua esquerda existe uma galeria de arte e um museu dedicado a Diogo Gonçalves, que fundou a igreja e fez a sua fortuna na Índia.

Frente Ribeirinha

A melhor parte da cidade é sem dúvida a frente ribeirinha, com uma série de praças – Largo do Dique, Praça Manuel Teixeira Gomes e Praça Visconde de Bivar – com cafés ao ar livre com fontes. Outro local bastante interessante de se passear é a Praça Manuel Teixeira Gomes, atualmente um belo calçadão que fica bem em  frente do rio, alinhado com palmeiras, bancos e esculturas dos artistas locais,  de onde se avista a ponte do século XIX, construída com o ferro que sobrou da ponte no Porto pela companhia de Gustave Eiffel. Também se pode marcar passeios de barco e pesca em mar alto ao longo do passeio. Subindo o rio e sob a ponte você encontrará uma série de restaurantes que servem sardinhas grelhadas, prato típico da região.

Foto via iStock por maniscule

Nas proximidades existem restaurantes mais caros: o melhor é a Dona Barca com mesas no Largo de mesmo nome, ou o Bom Apetite, na Rua Júdice Fialho 21 – que tem autêntica cozinha Portuguesa, incluindo o saboroso arroz de marisco.

Finalmente, a Casa Inglesa na ribeira Praça Manuel Teixeira Gomes é um café bem agradável, com mesas ao ar livre, ótimo para uma boa conversa fiada. Admire a cidade com tranquilidade e sinta o tempo passar com mais vagareza. Uma dica, do empresário Rui Sousa – nascido em Portimão é aproveitar um espetáculo diário e gratuito, o pôr do sol no areal da Praia da Rocha sentado no Restaurante Bonezinho, que é sempre um presente a todos que admiram a sensibilidade e acreditam que amar ainda é possível!

 

Follow by Email
Facebook
YouTube
Instagram