Tiradentes tem eventos e festejos tradicionais até a Páscoa

Tiradentes tem eventos e festejos tradicionais até a Páscoa

Passado o Carnaval, Tiradentes já se prepara para mais um feriado. Consideradas um dos melhores destinos para se viajar na Semana Santa (15 a 21 de abril), as cidades históricas de Minas Gerais ganham destaque porque, fundadas no ciclo do ouro, ainda hoje preservam igrejas monumentais e tradições culturais e religiosas que se repetem pelos séculos, como as procissões por ruas ornamentadas com coloridos tapetes artesanais, missas cantadas e concertos. Nesse sentido, tiradentinos e visitantes já estão com uma agenda repleta de festejos litúrgicos nesse bucólico município situado aos pés da Serra de São José (distante 190 km de Belo Horizonte).

Foto por César Reis

Até a Páscoa (21 de abril), o que não faltará em Tiradentes é procissão com acompanhamento de música sacra, coral e concertos em igrejas. Segundo o maestro e presidente da Banda Ramalho, Willer Silveira, estão programadas inúmeras celebrações em toda a cidade. Em 6 de abril, por exemplo, ocorre a Procissão do Depósito. “Trata-se de um cortejo que transfere a imagem de Cristo da Matriz até a Igreja de Nossa Senhora das Mercês. Nesse percurso, a estátua segue pelas ruas centenárias envolvida por um velário (tecido roxo), o qual só é retirado quando se chega ao interior do templo. No caminho, os músicos e o coral entoam responsórios em latim (forma de canto litúrgico em que um solista entoa versos que são respondidos por um coro) próprios da Quaresma e marchas fúnebres compostas por compositores tradicionais de Tiradentes”, explica Silveira.

“No percurso entre um templo e outro estão localizados os passinhos, que são pequenas capelas erguidas a partir de 1729 e reproduzem as diferentes cenas da Paixão e a subida de Cristo ao Calvário”, diz Ana Carolina Barbosa, integrante do coletivo Tiradentes Mais, associação que reúne empresários e artistas dos segmentos de hotelaria, compras, arte e gastronomia. Ela lembra que toda a cidade ganha, nesses festejos, o delicado perfume dos rosmaninhos, cujas flores brancas ou violetas enfeitam casas e igrejas e exalam um suave aroma comparado ao de alfazema. A planta, por sinal, também é utilizada na confecção dos tradicionais tapetes por onde passam as procissões.

Já no domingo, 7 de abril, ocorre outra cerimônia muito aguardada: o ‘Domingo do Encontro’, que começa às 10h com a Procissão da Rasoura, realizada ao redor da Igreja de Nossa Senhora das Mercês, seguida de missa solene. Às 18h, ocorre a Procissão do Encontro, no Largo do Rosário. “De um lado, sai um cortejo da Igreja de Nossa Senhora das Mercês conduzindo a imagem do Senhor dos Passos; do outro lado, saída da Igreja de São João Evangelista da procissão de Nossa Senhora das Dores. Após o encontro os dois grupos seguem até a Matriz, onde ocorre o Sermão do Calvário”, complementa.

A programação de atividades religiosas ainda inclui, no Domingo de Ramos (14 de abril), a celebração da entrada de Jesus em Jerusalém antes de ser crucificado. Às 9h30, na Matriz, sai uma procissão rumo ao Santuário da Santíssima Trindade, seguida de missa solene e canções religiosas. No dia 15 de abril (segunda-feira), ocorre a Procissão de Jesus com Apóstolos, com saída às 19h da Matriz para a Igreja de Nossa Senhora das Mercês, onde é reproduzido um horto com plantas e folhas em uma alegoria ao Monte das Oliveiras. Na terça-feira (16 de abril), os fiéis participam da Procissão da Prisão de Jesus, com saída da Igreja de Nossa Senhora das Mercês e retorno para a Matriz, com parada na Igreja do Rosário para uma encenação da passagem que remete ao beijo da traição de Judas. Nesse trajeto, toda a Rua Direita é apagada e ganha iluminação apenas das velas dos participantes do cortejo e das tochas dos atores que representam os soldados romanos que prendem Jesus.

Já na quarta-feira (17 de abril), às 19h, a Via Sacra é encenada nas ruas da cidade por atores de um grupo teatral da cidade, com saída da Igreja do Bom Jesus da Pobreza e encerramento na Matriz. Na quinta, dia 18, ocorre a tradicional cerimônia do lava-pés às 19h, na Matriz. Na sexta-feira (19 de abril), tem início a adoração da Cruz e, às 20h, a cerimônia do descendimento do corpo de Cristo da cruz seguida de procissão com coral. O sábado (20 de abril) é marcado pela Vigília Pascal a partir das 19h na Matriz, com bênção do fogo e Círio Pascal. A programação da Semana Santa finaliza-se na manhã do domingo de Páscoa (21 de abril), com a Procissão da Ressureição (saída da Matriz), que segue pelas ruas históricas da cidade que ganham, neste dia, tapetes de serragem colorida e as casas se enfeitam com flores nas janelas e balcões.

Texto por: Agência com edição de Patrícia Chemin

Foto destaque por: Alberto Lopes

Follow by Email
Facebook
YouTube
Instagram