Cinco destinos inusitados para conhecer a história da humanidade

Cinco destinos inusitados para conhecer a história da humanidade

Alguns destinos turísticos são notoriamente berço da nossa civilização e de marcos que mudaram o mundo. São lugares onde se respira a história viva, como Atenas, Roma ou Berlim. Outros destinos são menos óbvios e, normalmente, a bagagem histórica não é o principal chamariz. Mas, nem por isso, são lugares menos interessantes.

Uma maneira de se sentir parte da história é caminhar por ruínas, templos e restos arqueológicos e imaginar os grandiosos eventos que ali aconteceram. O tipo de passeio ideal para os viajantes brasileiros, já que dois terços (67%) deles garantem priorizar experiências acima de itens materiais quando estão viajando a lazer, segundo pesquisa da Booking.com, líder mundial em conectar os viajantes com opções incríveis de lugares para ficar.

Pensando nisso, a Booking.com listou cinco destinos perfeitos para caminhar por trilhas históricas, viver o passado e aprender um pouco mais sobre a nossa civilização.

Fernando de Noronha, Brasil

Foto via Divulgação

Embora a ilha seja famosa por sua bela paisagem e suas praias paradisíacas, Noronha tem também um forte apelo histórico e cultural. Ao longo de sua história, suas terras foram disputadas por holandeses, franceses e portugueses. Em 1737, os colonizadores levantaram algumas fortalezas por todo o litoral da ilha, como o Forte Nossa Senhora dos Remédios, tombado como monumento nacional em 1961. Além do forte, há ruínas do que era uma antiga prisão, a Aldeia dos Sentenciados, restos de casas e alicerces de oficinas. Vale a caminhada da Vila dos Remédios até o outro forte da região, o Forte de São Pedro do Boldró, de onde se avista o Morro dos Dois Irmãos e o pôr-do-sol mais apreciado de toda ilha.

Tulum, México

Foto via iStock por vwalakte

O mar caribenho é o ponto alto de uma viagem ao México, mas em Tulum o viajante não precisa abrir mão da praia para se aventurar por lugares históricos. Essa pequena cidade murada da Península de Yucatán abriga as ruínas de uma das grandes culturas pré-colombianas, a civilização Maia. O sítio arqueológico traz uma série de edificações bem conservadas dessa civilização, sendo o El Castillo, uma estrutura de quase 8 metros de altura, a mais imponente. Além de sua importância histórica e cultural, o sítio maia está em um penhasco em frente ao mar do caribe mexicano. A combinação de ruínas com o azul do mar é fascinante.

York, Reino Unido

Foto via iStock por Jui-Chi Chan

O velho continente é pura história e York, com suas torres, castelos e masmorras, é uma boa opção para quem está passeando pelo Reino Unido. Por toda York há reminiscências de diferentes povos que passaram por lá, dos vikings aos romanos. A maneira mais fácil de andar pela história e reviver o passado é participar de um dos “walking tours” oferecidos em toda cidade. Passe pela grandiosa catedral, o castelo Howard, as ruínas romanas, incluindo a de Saint Mary’s Abbey, e caminhe ao longo da muralha medieval de York.

Petra, Jordânia

Foto via iStock por FedevPhoto

A cidade rosa, como é conhecida, foi erguida por volta de 312 a.C. pelo povo dos nabateus, uma tribo nômade árabe, e foi rota do intenso comércio de especiarias no Oriente Médio. Construída e esculpida em rochas, a cidade é um dos sítios arqueológicos mais importantes do mundo, e por isso mesmo cenário de filmes como Indiana Jones e a Última Cruzada. Petra foi eleita uma das novas sete maravilhas do mundo e encanta pelas ruínas dos tribunais, a famosa Avenida de Colunas e por suas passagens estreitas por entre montanhas – a mais famosa tem 1 quilômetro de comprimento e desemboca no templo Al Khazneh, conhecido como O Tesouro.

Siem Reap, Camboja

Foto via iStock por cristapper

O complexo arqueológico de Angkor, na província de Siem Reap, no Camboja, tem mais de mil construções milenares do antigo Império Khmer ao longo de 400 km². Por incrível que pareça, antes do boom turístico, os templos e as maravilhas arqueológicas de Angkor ficaram abandonados por séculos. Tanto que as raízes gigantescas de árvores tiveram tempo e espaço para se espalhar e “abraçar” as estruturas de pedra – é como se elas fizessem parte das construções desde o início. Os templos mais conhecidos são de Angkor Wat e Ta Prohm. Mas, caso queira andar e conhecer os cantos mais importantes desse lugar misterioso, separe ao menos três dias.

Texto por Agência com edição de Carolina Berlato

Imagem Destacada via iStock por MikeFuchslocher

Follow by Email
Facebook
YouTube
Instagram