Aldeia Multiétnica promove vivência com o povo Xavante

Aldeia Multiétnica promove vivência com o povo Xavante

Com a proposta de transmitir ao público conhecimentos sobre a cultura A’uwe, em meio à biodiversidade do Cerrado nativo – bioma no qual estão inseridas as aldeias dessa etnia e a Chapada dos Veadeiros – a Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge e o Centro de Estudos Universais realizam em outubro, na Aldeia Multiétnica (GO), a vivência ‘Sementes e Sonhos na Visão Xavante’, com um grupo de indígenas da Aldeia Ripá (MT).

Foto via iStock por wagnerokasaki

A etnia participou em julho de 2018 da XII Aldeia Multiétnica – projeto que reúne povos do Cerrado, Mata Atlântica, Caatinga e Amazônia, e de outros países, para apresentarem suas culturas de diversas maneiras -, e construíram sua casa tradicional no local. Em outubro, o público terá a oportunidade de conhecer e aprofundar seus conhecimentos sobre os modos de ser, fazer e pensar dos Xavante. Entre as atividades, estão cantos tradicionais e devocionais, pinturas corporais, corridas com toras de buriti, caminhadas em busca de plantas medicinais, contação de histórias antigas ao redor da fogueira, troca de sementes nativas e discussões sobre o sonhar consciente na tradição A’uwe.

Foto via Divulgação

Para os Xavante, “a vida é feita da mesma matéria dos sonhos”, portanto a estrutura social e as decisões tomadas nas aldeias são fundamentadas nos mesmos. Por meio do sonho, os indígenas desta etnia recebem orientações e mensagens sobre como devem agir e quais decisões tomar. Na vivência, os participantes terão a oportunidade de aprender e trocar experiências sobre a linguagem do sonhar, e também sobre outras particularidades culturais e espirituais desse povo.

Foto via Divulgação

“A Aldeia Multiétnica é um espaço de valorização dos povos indígenas que proporciona a união de diversas etnias para a defesa de suas culturas, tradições individuais e lutas em comum, além de aproximá-los da população não-indígena em uma vivência transformadora”, explica Juliano Basso, presidente da Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge. Nascida no distrito de São Jorge (Alto Paraíso de Goiás, GO), a ONG proporciona encontros ao longo do ano, que valorizam a sociobiodiversidade, possibilitando a troca de saberes e fazeres.

Texto por Agência com edição de Carolina Berlato

Imagem Destacada por Marcelo Santos Braga via Divulgação

Follow by Email
Facebook
YouTube
Instagram